As profecias da volta de Jesus foram cumpridas: Como ouvir a voz de Deus e saudar o Senhor

Todos os tipos de desastres ocorreram nos últimos anos, as quatro luas de sangue, já apareceram há muito tempo, e as profecias sobre o retorno do Senhor basicamente agora se cumpriram. Como então devemos saudar o Senhor? O Senhor Jesus diz: “Mas à meia-noite ouviu-se um grito: Eis o noivo! saí-lhe ao encontro!” (Mateus 25:6). “Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a Minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele Comigo” (Apocalipse 3:20). Em Apocalipse, está profetizado muitas vezes, “Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas” (Apocalipse 2,3). Essas profecias nos dizem que o Senhor falará às igrejas quando voltar nos últimos dias, e por meio de Suas declarações, baterá à porta de nosso coração, buscando Suas ovelhas. Se quisermos saudar a volta do Senhor. Portanto, devemos ser as virgens prudentes e aprender a ouvir a voz de Deus, pois só assim poderemos assistir à festa do Cordeiro.

As profecias da volta de Jesus foram cumpridas: Como ouvir a voz de Deus e saudar o Senhor

Nesse ponto, alguns irmãos e irmãs podem pensar na Igreja de Deus Todo-Poderoso. Eles podem pensar no fato de que, nos últimos anos, apenas a Igreja de Deus Todo-Poderoso tem testificado publicamente online, que o Senhor voltou, que Ele apareceu e está realizando Sua obra, que Ele expressou novas declarações, que Ele está atualmente realizando a obra de julgar e purificar o homem, e que muitas pessoas de todas as religiões e denominações se voltaram para Deus Todo-Poderoso, depois de ouvir Suas palavras. Mas há muitos irmãos e irmãs agora, que não sabem como discernir a voz de Deus; este problema é real e é a chave para podermos saudar o Senhor, quando Ele vier. Abaixo, teremos comunhão sobre como podemos discernir a voz de Deus.

1. A voz de Deus tem autoridade e poder

Na verdade, não é difícil ser capaz de reconhecer a voz de Deus; tudo que você precisa fazer é usar seu coração e você saberá. Por exemplo, embora possamos não ter um entendimento completo das palavras do Senhor, assim que as ouvimos, sabemos que são a verdade, sentimos sua autoridade e poder, e em nossos corações sabemos, sem dúvida, que essas palavras não poderia ter sido dito por nenhum ser humano normal. Somente O Deus que criou todas as coisas no céu e na terra poderia possuir tal autoridade e poder, e qualquer pessoa com coração e espírito será capaz de sentir isso e acreditar. Por exemplo, o Senhor Jesus diz: “Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por Mim” (João 14:6). “Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em Mim, ainda que morra, viverá” (João 11:25). “Portanto vos digo: Todo pecado e blasfêmia se perdoará aos homens; mas a blasfêmia contra o Espírito Santo não será perdoada. Se alguém disser alguma palavra contra o Filho do homem, isso lhe será perdoado; mas se alguém falar contra o Espírito Santo, não lhe será perdoado, nem neste mundo, nem no vindouro” (Mateus 12:31-32). Quando ouvimos as palavras do Senhor, nos sentimos incrivelmente tocados, sentimos sua autoridade e poder, e então temos a certeza de que essas palavras são as verdades. Além disso, as palavras de advertência do Senhor para humanidade estão imbuídas do caráter majestoso e a ira de Deus, que não tolera ofensas, e sabemos que nenhum ser humano poderia dizer tais palavras.

Vamos ler outra passagem e entenderemos mais sobre como podemos discernir a voz de Deus. As palavras de Deus dizem: “A autoridade e identidade de Deus são claramente reveladas no fraseado das declarações de Deus. Por exemplo, quando Deus diz “o Meu pacto é contigo, e serás […] te hei posto […] far-te-ei […]”, expressões como “serás” e “farei”, cujo fraseado contém a afirmação da identidade e autoridade de Deus, são, em um aspecto, uma indicação da fidelidade do Criador; em outro aspecto, são palavras especiais usadas por Deus, que possui a identidade do Criador — além de fazer parte do vocabulário convencional. […] Essas palavras foram proferidas pela boca de Deus, e há poder, majestade e autoridade nas palavras de Deus. Tal poder e autoridade, e a inevitabilidade da realização do fato, não podem ser alcançadas por nenhum ser criado ou não criado, nem superadas por nenhum ser criado ou não criado. Somente o Criador pode conversar com a humanidade com tal tom e entonação, e os fatos provaram que Suas promessas não são palavras vazias ou ostentações vãs, mas são a expressão da autoridade única que não pode ser superada por nenhuma pessoa, evento ou coisa.

Podemos ver nesta passagem que as declarações de Deus, são faladas na identidade do Criador para toda a humanidade. Sua maneira de falar, Suas palavras e Seu tom demonstram, a identidade e a substância única do Próprio Deus, e essas palavras são expressões diretas do Espírito de Deus. Embora possamos não conhecer a Deus ou compreender a verdade, se ouvirmos com nossos corações, sentiremos a autoridade e o poder das palavras de Deus, e então teremos a certeza de que, somente Deus pode falar como o Criador dessa forma. Por exemplo, no tempo do Antigo Testamento, Deus disse a Abraão: “Quanto a Mim, eis que o Meu pacto é contigo, e serás pai de muitas nações; não mais serás chamado Abrão, mas Abraão será o teu nome; pois por pai de muitas nações te hei posto; far-te-ei frutificar sobremaneira, e de ti farei nações, e reis sairão de ti” (Gênesis 17:4-6). Nas palavras de bênção de Deus a Abraão, podemos perceber a autoridade nas palavras de Deus; nenhum ser criado ousaria fazer tais promessas arbitrariamente. Não devemos, portanto, considerar o discernimento da voz de Deus como algo difícil. Não importa se somos educados ou de muito menos calibre, depende de quanta teoria teológica ou conhecimento bíblico temos. O ponto crucial é amar ou não a verdade, e enquanto tivermos coração e espírito, seremos capazes de ter percepção e julgamento, assim como disse o Senhor Jesus: “As Minhas ovelhas ouvem a Minha voz, e Eu as conheço, e elas Me seguem” (João 10:27). Somente aqueles que não amam a verdade, e que não têm coração e espírito, são incapazes de reconhecer a voz de Deus. Veja os fariseus da época de Jesus, por exemplo. Eles podiam ouvir a autoridade e o poder nas palavras que o Senhor Jesus falava, mas ainda assim eles não acreditaram que Ele era o Messias, e O julgaram e disseram que Ele blasfemava. Eram as virgens tolas absurdas e imprudentes, que não entendiam de assuntos espirituais.

2. As palavras de Deus são as verdades e podem nos mostrar o caminho

O Senhor Jesus diz:“Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por Mim” (João 14:6). As palavras de Deus dizem: “O caminho de vida não é algo que qualquer pessoa possa possuir, nem é algo que qualquer pessoa possa alcançar facilmente. Isso ocorre porque vida só pode vir de Deus, o que quer dizer que somente o Próprio Deus possui a substância de vida, e só o Próprio Deus tem o caminho de vida. E só Deus é a fonte de vida e o manancial inesgotável de água viva de vida.” Podemos ver por essas palavras que se quisermos ter certeza da voz de Deus, podemos usar nosso próprio julgamento para determinar se essas palavras possuem a verdade, e se podem nos mostrar o caminho. Pois além de Deus, nenhum outro é capaz de expressar a verdade. Além de mais, cada expressão que Deus faz é direcionada às nossas necessidades reais; Ele não fala algumas passagens aleatoriamente e depois desiste. Todas as palavras de Deus têm significado. Elas podem resolver nossos problemas práticos, mostrar-nos o caminho, e praticando de acordo com as palavras de Deus, podemos ganhar vida e viver uma verdadeira semelhança humana. Na Era da Lei, Deus usou Moisés para proclamar as leis, e mandamentos, para que o homem soubesse o que era o pecado, e como viver uma vida normal. Se Deus não tivesse feito isso, as pessoas estariam matando-se umas às outras como selvagens. Perto do fim da Era da Lei, as pessoas não eram mais capazes de cumprir as leis, e corriam o risco de serem condenadas até a morte por elas. Deus, portanto, expressou o caminho do arrependimento de acordo com as necessidades do homem; Ele exigia que as pessoas confessassem e se arrependessem, que aprendessem a amar a Deus, a amar os outros como a si mesmo, a amar seus inimigos, e a ser tolerantes e pacientes, e assim por diante. Por exemplo, o Senhor Jesus diz: “Arrependei-vos, porque é chegado o reino dos céus” (Mateus 4:17). “Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento. Este é o grande e primeiro mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo” (Mateus 22:37-39). Essas palavras mostraram às pessoas daquela época um novo caminho a seguir. Ao praticar, de acordo com as palavras do Senhor Jesus, nosso comportamento exterior mudou um pouco e nos tornamos um tanto amorosos e pacientes. O que é inegável, entretanto, é que agora vivemos em um estado de pecado quase constante, e como podemos nos livrar das amarras do pecado? É uma questão que nos aborrece muito, essa é a nossa verdadeira dificuldade. O Senhor Jesus profetizou, “Ainda tenho muito que vos dizer; mas vós não o podeis suportar agora. Quando vier, porém, Aquele, o Espírito da verdade, Ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por Si mesmo, mas dirá o que tiver ouvido, e vos anunciará as coisas vindouras” (João 16:12-13). E Hebreus 9:28 diz: “Assim também Cristo, oferecendo-se uma só vez para levar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que O esperam para salvação” (Hebreus 9:28). Podemos ver nesses versículos da Escritura que, quando o Senhor voltar, Ele expressará novas palavras para nos conduzir a todas as verdades. Haverá mais verdades mais elevadas do que durante a Era da Graça, todas elas serão verdades que nunca antes entendemos, e serão capazes de nos salvar do pecado, e nos capacitar a ganhar a vida eterna. Se alguém simplesmente repetisse algumas palavras faladas anteriormente pelo Senhor Jesus, então certamente não seria a voz de Deus. Isso seria um espírito maligno ou um falso cristo imitando as declarações de Deus. E assim, quando ouvimos alguém testificar que o Senhor veio e está expressando novas palavras, podemos usar nosso próprio julgamento para determinar se essas palavras têm alguma nova luz, se podem nos mostrar o caminho para nos livrar do pecado, e se elas podem nos capacitar e viver a humanidade adequada. Este é o segundo princípio para discernir a voz de Deus.

3. As palavras de Deus podem expor a corrupção na humanidade

Há mais um princípio para distinguir a voz de Deus, que é olhar e ver se essas palavras são capazes, de revelar a essência corrupta do homem. Como todos sabemos, Deus examina profundamente nossos corações e mentes; Seu entendimento penetra em cada parte de nós, e Ele vê a própria essência de nossa natureza. Assim como a Bíblia diz, “Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até a divisão de alma e espírito, e de juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração. E não há criatura alguma encoberta diante dele; antes todas as coisas estão nuas e patentes aos olhos daquele a quem havemos de prestar contas” (Hebreus 4:12-13). Podemos ver com isso, que todas as coisas no mundo estão nuas e abertas diante de Deus. Mesmo os pensamentos profundamente mais ocultos, em nossas mentes, mesmo coisas que nunca soubemos que existiam, Deus pode examinar todas elas e trazê-las à luz. Por exemplo, o Senhor Jesus expôs os fariseus quando disse: “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! porque sois semelhantes aos sepulcros caiados, que por fora realmente parecem formosos, mas por dentro estão cheios de ossos e de toda imundícia. Assim também vós exteriormente pareceis justos aos homens, mas por dentro estais cheios de hipocrisia e de iniquidade” (Mateus 23:27-28). A partir desse registro bíblico, podemos ver que os fariseus eram totalmente hipócritas, que oravam a Deus em pé nas ruas, que deliberadamente fizeram se parecer feios durante o jejum, garantiam que as pessoas os vissem quando davam esmolas e secretamente desviavam as propriedades das viúvas. De maneira alguma eles exaltavam a Deus, ou davam testemunho de Deus; eles levaram os crentes a se apegar em algumas regras inúteis e trouxeram todos diante de si mesmos. O povo judeu comum daquela época, eram incapazes de ver como os fariseus eram realmente, e foram enganados por suas aparentes boas ações. Eles acreditavam que os fariseus eram homens piedosos e servidores de Deus, e tinham fé cega e adoravam os fariseus. O Senhor Jesus, no entanto, foi capaz de ver o íntimo do coração dos fariseus e expôs sua essência hipócrita, permitindo assim que os crentes tivessem discernimento.

Da mesma forma, quando o Senhor retornar nos últimos dias, Ele também exporá nossa essência corrupta. Vamos dar uma olhada nessas profecias no livro do Apocalipse: “Tinha Ele na Sua destra sete estrelas; e da Sua boca saía uma aguda espada de dois gumes; e o Seu rosto era como o sol, quando resplandece na Sua força” (Apocalipse 1:16). E o Senhor Jesus profetizou, “Quem Me rejeita, e não recebe as Minhas palavras, já tem quem o julgue; a palavra que tenho pregado, essa o julgará no último dia” (João 12:48). 1 Pedro 4:17 diz: “Porque já é tempo que comece o julgamento pela casa de Deus.” Essas profecias nos dizem que quando o Senhor voltar nos últimos dias, Ele expressará palavras para realizar a obra de julgamento e usará Sua palavra para revelar todos os nossos pecados, como uma espada de dois gumes. Ele nos fará refletir sobre nós mesmos, sentir remorso por nossas ações e comportamento e alcançar o verdadeiro arrependimento e mudança. Como dizem as palavras de Deus: “Ele despreza a imundície. Você pode nem ser capaz de detectar algo imundo em suas palavras e ações, mas Ele pode, e Ele as aponta para você. Aquelas suas coisas antigas — sua falta de refinamento, percepção e senso, seu estilo de vida retrógrado — foram trazidas à luz pelas revelações de hoje; só por Deus ter vindo à terra para operar é que as pessoas contemplam Sua santidade e Seu caráter justo. Ele o julga e castiga, fazendo com que você ganhe entendimento; às vezes, sua natureza demoníaca se manifesta e Ele a aponta para você. Ele conhece a essência do homem como a palma de Sua mão.” A fim de saber se essas palavras são as declarações da segunda vinda do Senhor, portanto, devemos ver se elas são capazes de expor nossos pensamentos mais íntimos, e nossa essência corrupta, e se podem nos permitir alcançar auto-reflexão, auto-conhecimento e verdadeiro arrependimento. Se forem palavras nas quais Deus revela e julga a essência corrupta do homem, então quando as lermos, nos sentiremos angustiados, seremos convencidos de coração e por palavra, e então seremos capazes de sentir justo caráter de Deus, que não tolera ofensa. Se o que estamos ouvindo for apenas um ser humano corrupto, dizendo algumas palavras de reprovação, então não teremos esses sentimentos.

Tendo, estado em comunhão até este ponto, espero que todos vocês agora tenham um caminho a seguir, para serem capazes de reconhecer a voz de Deus. Como então podemos ter certeza de que as palavras expressas por Deus Todo-Poderoso são a voz de Deus? Na verdade, não é difícil. A maioria das palavras expressas pelo Deus Todo-Poderoso estão registradas no livro, A Palavra manifesta em carne. Se usarmos nosso coração para ler vários capítulos deste livro, veremos por nós mesmos se essas palavras possuem autoridade, se podem nos mostrar o caminho para nos livrar do pecado, e se expõem nossa essência corrupta, e então iremos naturalmente ser capaz de discernir esse problema claramente. Se formos capazes de reconhecer a voz de Deus, e aceitar e nos submetermos à obra de Deus dos últimos dias, então seremos as virgens sábias e seremos capazes de saudar o Senhor quando Ele voltar.